Entenda mais sobre o funcionamento das marmorarias

051

Tem vontade de investir no ramo de marmorarias, mas não sabe muito bem como é esse mercado? Então, esse texto é para você! Ele contém uma série de informações úteis para que você possa entender melhor sobre funcionamento das marmorarias e assim decidir se esse é um bom negócio, confira!

Mercado e clientes da marmoraria

O mercado é bem amplo, já que os mármores e granitos podem ser usados em diversas situações, tais como na arquitetura e construção, que é o setor que tem maior movimentação porque compra muito, já que o material é usado em todos os tipos de construção de edificações (casas, condomínios, escolas, hospitais, edifícios administrativos, esportivos, prédios comerciais, templos religiosos); revestimento de elementos urbanos (pavimentação de vias); arte funerária (construção e ornamentação de túmulos e mausoléus) e decoração (esculturas, estátuas, balcões, bancadas de pia, móveis e objetos decorativos). As marmorarias menores participam muito na produção de bancadas para mesas, cozinhas e banheiros.

Então o principal mercado é a construção civil, garantindo mais de 80% do volume, seguido da arte funerária, com 13%. O significado desses números é que o mercado de marmoraria está muito ligado ao da construção civil, ao comportamento da economia no geral. O que acontece também é que há uma segmentação da cadeia produtiva, com empresas responsáveis por cada uma das etapas de produção.

Essa divisão de trabalho faz com que os consumidores finais comprem blocos diretamente das pedreiras e contratem os serviços necessários até chegarem ao que pretendem. Desse jeito, os produtos das marmorarias ficam muito mais voltados às pequenas construtoras e aos consumidores que estão fazendo uma obra em casa.

Entrar em um mercado como esse significa ter estratégias bem definidas, já que a concorrência é grande. Uma orientação é conhecer profundamente o mercado e toda a cadeia de produção.

Fornecedor se concentra em um estado

As placas para as marmorarias são feitas pelas indústrias que beneficiam as rochas ainda em blocos, na forma bruta, fazendo a serragem.

O principal pólo industrial de blocos de mármore está localizado no Espírito Santo e a produção está cada vez mais crescente e aumentando as vendas para o exterior.

A produção nesse estado é feita de maneira que todos os outros são fornecidos com a matéria-prima, mas não há muitas marmorarias na localidade que adquirem chapas de outras regiões e atuem com produtos vindos de outros países.

Custos fixos

Os custos fixos para montar uma marmoraria são os seguintes: terreno, construção civil, galpão industrial, instalações elétricas, veículos utilitários, máquina politriz com acessórios, máquina de corte, furadeira para bancadas, ferramentas, mobiliário, depreciação, pessoal de escritório e encargos, honorários do contador, aluguel, energia elétrica, água, telefone, manutenção e despesas administrativas.

De acordo com o porte do negócio, há ainda a possibilidade de surgirem outros custos fixos e eles são essenciais para serem considerados no planejamento do negócio.

Fontes de financiamento

Montar um negócio requer muito dinheiro e existem fontes que estão disponíveis para micro e pequenos empresários.

O Espírito Santo possui como fonte básica o FUNRES, oferecido pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), que oferece até R$25 mil para investimentos. Mas também há recursos do BNDES, que são repassados ao Banco do Brasil, Banestes e Bandes e ainda os privados. É preciso analisar cada caso para haver a liberação do financiamento.

Localização da marmoraria

Quando o empreendedor for escolher a localização para montar sua marmoraria deverá levar em conta determinados itens na infraestrutura, como uma via de acesso que seja compatível para o trânsito de caminhões que obrigatoriamente vão passar por ali para transportar placas e produtos acabados; energia elétrica, que precisará estar disponível para que os motores das máquinas politrizes e de corte possam funcionar normalmente, assim como os demais serviços auxiliares e toda a iluminação da fábrica; a água é insumo básico do processo de produção, portanto, o lugar precisa ser abastecido por ela continuamente. Além disso, o dono do negócio precisa conferir também se há reservatório de água; o esgoto e seu tratamento são autorizados por órgão responsável pela preservação do meio ambiente.

É importante que o dono do negócio saiba que um empreendimento como esse usa bastante água e ainda gera muito resíduo, que deve ser guardado e depois enviado para um local apropriado.

Fonte site Novo Negocio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s